Posts Marcados Com: lhe

Poesia para a Lua

Giordana Bonifácio

Entregue a devaneios,

Sonhando acordado.

Não me podam arreios,

Já não estou amarrado.

 

A Lua é minha amiga

Segue aqui ao meu lado.

Avesso às intrigas,

De Diana encantado.

 

Eu vou criando poesia,

Com minha solidão.

A rima é cortesia

 

Que os astros lhe dão.

O silêncio anestesia,

Da dor, a imensidão.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Suave brisa de outono

Giordana Bonifácio

Suave brisa de outono para longe leve,

Meu abandono, pois é gélido como a neve.

Mas queima a pele como a brasa mais ardente.

Suave brisa de outono sopre a dor ao poente.

 

Caso seja possível, leve-me consigo,

Ao oásis mais aprazível. Ouve o que lhe digo?

Suave brisa de outono, tão fiel confidente,

Porque não me concede este belo presente?

 

Com minhas asas de Ícaro permita-me voar,

Sobre as nuvens, bem alto, até que me falte o ar.

Suave brisa de outono porque a mim ignora?

 

Não entende talvez que busco a vida lá fora?

Pois preciso andar por lugares diferentes.

Suave brisa de outono quebre-me as correntes.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Ouça-me…

Giordana Bonifácio

Ouça-me pois tenho tantas coisas a lhe contar.
Este mundo é perverso, aqui não me faço ouvir.
Não existe para mim a condição de um porvir.
A vida é um quebra-cabeças que não pude montar.

Só peço que ouça, pois minha história vou narrar.
Eu nasci para ser mais um gauche na vida.
Gravadas no meu peito tenho só feridas.
A felicidade não pude jamais agarrar.

Estou certo que sou o maior dos maiores fracassos.
E na estrada não me podem contar os passos.
Estive anos a esta dor acorrentado.

Numa procura sem qualquer fim ou resultado.
Ouça-me que minhas mágoas quero disseminar.
É infinita a solidão e a dor não vai terminar.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Não se preocupe

Giordana Bonifácio

Não se preocupe, pois sempre estarei ao seu lado.

Quando a dor vier e mais estiver preocupado,

Segure em minha mão, pois muito vou lhe ajudar.

Creia, pois com a fé,  toda sua vida vou mudar.

 

Fui seu refúgio nos mais difíceis momentos.

E juntos venceremos os maiores tormentos.

Venha comigo confie nessa mão estendida.

Eu vejo que tem medo e assisto a sua vida.

 

Filho, procure por Mim sempre que precisar.

Os maus tentarão a suas belas ilusões pisar.

Mas se ancore em Mim, pois sou seu porto seguro,

 

Cercarei seu espírito com altos muros.

Sou seu Pai, não vou lhe abandonar à escuridão.

Pois meu amor por você, filho, é uma imensidão.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

O tempo inexorável

Giordana Bonifácio

Quando os anos tirarem de sua face o viço.

E o frio espelho mostrar-lhe já um olhar mortiço.

Quando o tempo voraz causar marcas em seu rosto.

E a velhice já tiver-lhe o vigor deposto.

 

Quando procurar for pelos anos perdidos

E vir ser impossível recuperar dias idos.

Quando seu corpo curvar-se já muito frágil.

E seus olhos já não conseguirem ler fácil.

 

Enfim, quando perceber que já está a padecer.

E que a morte tão logo virá a acontecer.

Faça de toda sua existência uma avaliação.

 

Rememore se sempre praticou a boa ação

Haja vista que só esta que vale no fim.

Escute este conselho, essencial para mim.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Felicidade

 Giordana Bonifácio

Felicidade não é tão difícil de se achar.

É só não deixar este belo botão murchar.

Carregamos a  fina flor  em nosso peito.

A alegria cultivamos como a um grande feito.

 

Só seremos felizes quando compreendermos,

Que não é essencial procurarmos em cantos ermos.

Está conosco este tesouro almejado.

Não se trata somente de um sonho dourado.

 

Felicidade não está restrita por sorte.

Não são essenciais fortunas ou  qualquer consorte.

Sozinho e sem dinheiro a encontrar é possível.

 

Apesar de não ser um fato muito crível,

Garanto-lhes: pode ser bem fácil ser feliz.

Basta ouvir o que seu bom coração lhe diz.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Dor = Amor

 Giordana Bonifácio

Não sei por quanto tempo tenho lhe esperado.

A culpa é toda minha, creio que entendi errado.

Ou talvez não haja nada a se entender, vai saber…

Restará tudo só entre nós, no que a mim couber.

 

Pudera ser teorema bem mais compreensível,

Mas me parece não ter solução possível.

É com certeza a dúvida que ainda persiste.

Não consigo mais penar é algo que me assiste.

 

Sei que não mais me ferir não é possível jurar.

Mas tenha dó de mim, cansei de me aventurar.

De meu coração só tenho um trapo sofrido.

 

Do amor saiba que há muito tempo tenho corrido.

Porque já estou exausto de sentir tanta dor.

Mas o que fazer? Sofrer é a única razão do amor.

 

 

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: