escrevendo-com-uma-pena

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.”
Cancioneiro – Fernando Pessoa

Quem disse?

Giordana Bonifácio

“Tu és poeta”, meu coração que me disse,
Enquanto de alma em alma seguia errando,
Onda do mar que está sempre vagando,
De olhos fixos num conto de Clarice.

“Tu és tolo”, minha razão que me disse,
Enquanto eu seguia, triste murmurando,
As mais belas poesias dum tal Fernando.
Não sabem que esta dor é só um artífice?

Faz chorar o coração enternecido
Ferido pelas setas de Cupido.
“Tu nada mais é que um reles fingidor,

Que, do chão, enxerga toda a luz dos astros.
Mas não é capaz de lhes seguir os rastros.”
Disse-me o mundo, meu cruel inquisidor.

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: