large

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.”
Autopsicografia – Fernando Pessoa

Metalinguagem

Giordana Bonifácio

Poesia: páginas tristes que em vão invento,
Peças de dor da minh’alma perdidas,
Ilusão que me eleva o pensamento,
Soma de mágoas d’outras muitas vidas.

Amor: cruel sofrer que tanto lamento,
Flechas da aljava de Eros foragidas,
Que provocam tão amargo sentimento,
Do qual só o tempo cura suas feridas.

Poesia: sonho dos mais tolos amantes,
Nas noites em que só a paixão alumia
Os seus olhos tão puros e brilhantes.

Amor: mal que da dor faz melodia,
Não se sabe qual destes dois surgiu antes,
Mas fazem de mim mais triste e arredia.

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: