3764_artigo_guerra_gaza

Em nome da fé

Giordana Bonifácio

Ouço a morte sibilar ao meu ouvido.

Memória de um passado fúnebre?

Quantas tragédias ainda vamos viver?

Meu Deus, por que nos abandonastes?

Uma tempestade de pó e ferros retorcidos

 caem sobre o mundo.

Tenha piedade de nós…

Um flash retrata a dor sob os escombros.

“Medo, frio, dor, o que mais vos assustais?”

Tenha piedade de nós…

O presente é só uma consequência do passado.

O pior é o futuro que nos espera.

Tenha piedade de nós…

Amarga na boca a hóstia consagrada.

Tenha piedade de nós…

Mísseis cruzam os céus em nome de Deus.

Ou talvez de Alá. Quem estaria certo?

Ruge a metralhadora nossa sentença de morte.

Mortos, mortos, mortos…

Tenha piedade de nós…

Abrace sua fé como à bomba que dilacera.

A fé traz consigo o antigo discurso de modernidade.

Fragmentos de corpos, retalhos de sonhos.

O passado é o presente no espelho.

Rasgue a flâmula que condena.

Vidas inocentes perdem-se em discursos hipócritas.

Tudo em tempo real.

A história instantânea logo esquecida.

Tenha piedade de nós.

Erguem-se aos céus as mãos dos inocentes.

A culpa de sua morte escapa-lhes.

Em nome de Deus.

Em nome da fé.

Mortos, mortos, mortos…

Ó, meu Deus, Tenha piedade de nós…

 

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: