HomemMar

O poeta chora sua dor em poesia

Giordana Bonifácio

Vou chorar minha dor nesta poesia.

A mágoa de minh’alma, aqui vertida,

Corrói como a salgada maresia.

O poeta canta sua amarga ferida.

 

O amor é arte, tão só uma fantasia

Que se vai numa lágrima perdida.

A canção triste que um dia me aprazia,

Hoje, dói-me como uma despedida.

 

As vagas vêm e vão como as lembranças,

Lambem-me os pés suas águas tão serenas.

Quisera as paixões fossem assim mansas…

 

O mar enche-me os sonhos de loucura,

Enfeita-os com singelas açucenas

De amores que, em vão, minh’alma procura.

 

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: