Morte em fuga

Soneto duma morte anunciada

Giordana Bonifácio

Sob lágrimas de dor e tantos ais,

Sob a tão amarga máscara da morte,

Quem, sobre o duro féretro, ora jaz?

A quem foi imputada tão terrível sorte?

 

Quem, nos braços de Deus, ora está em paz?

Quem é esta que da dor se fez consorte?

De quem são os olhos que não verão mais?

Quem é esta, cuja mágoa foi mais forte?

 

Quem é, senão a fria face de Narciso?

O que é, senão uma imagem do futuro?

O que é, senão o fim de uma triste vida?

 

Quem se vai, falar, faz-se ainda preciso?

O que leva, a não ser o que procuro?

Quem é, senão uma ilustre conhecida?

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: