Breve assovio

Giordana Bonifácio

E lá vem ele, passos lentos , cabisbaixo,

Como se tivesse todo o tempo deste mundo.

E ao redor parece a rua estar em sono profundo.

Eu que nesse retrato ao certo não me encaixo,

 

Tinha o hábito de seguir este homem com olhar.

Ele andava de sandálias e um chapéu surrado,

Sobre a cabeça e, a menos que esteja enganado,

Seu estranho assovio era como um rouxinolear.

 

Era um pássaro, que já não mais podia voar…

E ouvindo, de seu breve e forte assovio, o soar.

Sua alegria quando livre, ficava nítida.

 

Mesmo que agora sua canção soasse sentida.

Pois a vida privou-lhe de planar no céu anil.

Mas este homem, o pássaro em si, ainda não baniu.

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: