O Poeta

Giordana Bonifácio 

O soneto é a música que não se pode ouvir,

Só que as pessoas tratam-no como suvenir.

O poeta que a dura pedra tem esculpido,

Não é reconhecido. Seu trabalho sofrido,

 

Padece na escuridão do esquecimento.

O pobre escritor cujo corpo sonolento,

Das vãs madrugadas passadas acordado,

De fãs ou leitores fiéis está abandonado.

 

A juventude corajosa que possuiu um dia,

Esvaiu-se com os singelos sonhos em que cria.

Em sua promessa de produzir poemas persiste,

 

Mesmo sabendo que pagamento não existe.

A maior benesse de sua arte é o doce sabor

De ler o soneto pronto e entoá-lo com fervor.

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: