O último reduto

Giordana Bonifácio

Esta solidão sem palavras que a tudo diz.

Esta tristeza, sem dó, que fere ao meu coração.

Esta é a tal pena hedionda, ser um só infeliz.

Esta dor cruel cujos males se enumeram,

 

está sempre comigo. Não há saídas para mim.

Está presente, ainda, esta saudade incômoda,

uma fonte de sofrimentos que não tem fim.

Imploro que não sinta esta emoção toda,

 

que tenho certeza não conseguir suportar.

Sei que a vida me precede a cada minuto,

não posso evitar esse triste navegar.

 

E comigo, somente esse sentimento bruto

ao qual, sei, não é possível vencer ou evitar.

No final: o silêncio. Meu último reduto.

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: